sexta-feira, 27 de maio de 2011

Cada um no seu quadrado..

O bagúio tá lôco! Os cara rodáro, mermão! Caiu na net, malandro!!!

Militares entediados tiveram uma idéia genial! Mixaram o hino nacional e gravaram uma dança nada convencional de dentro do quartel. Uma versão bastante jovial do nosso hino... A imprensa cai matando!
Opiniões surgem do nada, e o assunto se transforma em uma grande polêmica. Não sou o dono da verdade, e nem acho que alguém deve me levar a sério. Mas para todos aqueles que consideraram a 'dançinha' um absurdo:

Por favor, procurem algo digno para reclamar. Particularmente, não vejo a dança do hino nacional um absurdo..

Absurdo são bolsonáros fascistas e preconceituosos a favor do método da tortura para obter informações.
Absurdo são Malafaias tentando vetar um projeto de lei por pura ignorância e orgulho.
Absurdo são Liertes babacas quererem restringir a liberdade do seu próximo por não concordar com seus ideais.
ABSURDO, é o povo eleger um PALHAÇO ANALFABETO para deputado federal com o maior número de votos!

Então, senhores(as), sugiro que olhem para os seus próprios umbigos antes de julgar a atitude alheia com prepotência e arrogância. Talvez, a maioria das pessoas que os condenaram, mal sabem cantar o hino nacional... Portanto, quem não canta, dança meus queridos!

E patriotismo, vai muito além de saber cantar um hino de cor. Vai muito além de se comover e botar a mão no coração ao ver a bandeira do Estado maior sacudindo lá no alto...
O patriotismo requer coragem para despregar a bunda do sofá, desligar a TV na novela das sete, e reivindicar por algo que se considera justo. Se das pessoas que condenaram os rapazes, nenhuma fez nada parecido, está na hora de repensar sobre seus valores, e fazer algo realmente útil, pois apontar o dedo e dizer que é falta de respeito é muito fácil. Protestar sobre algo relevante é que é difícil...

Bom, eu considero a atitude dos militares no mínimo interessante. Uma puta idéia genial, que fez muita gente ignorante dar ibope(inclusive eu). Mas a crítica, num contexto geral, é séria. Nós brasileiros, deveríamos tomar conta das próprias vidas, questionar problemas de verdade, e não um grupo de jovens militares se divertindo(com coisa séria, mas mesmo assim, se divertindo).

Então, ado, a-ado, cada um no seu quadrado!

Amém.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Dois.

Me mostre, até quando, esta gente, sem mente, não sente, nem sai, da corrente, da fala, de quem, é mais, deprimente, que faz, este povo, seguir, a conduta, de alguns, que acham, que o certo, está perto, do templo, ou da, ignorância.

Me ensine, porque, este povo, não luta, nem sai, na labuta, pro bem, da conduta, da livre, expressão?

Não sei, mas parece, a burrice, de quem, não conhece, a lei, federal.
Questionar, um ato, saudável, que não, é lamentável, nem ilegal.
Esta gente, que toca, em frente, não olha, pro outro, e segue, o sermão,
Normalmente, não é, coerente, com as, próprias palavras, nem com, a razão.

***

Todo o dia era sempre igual...
Ele de toca morrendo de frio.
Ela de blusa, escrito "Miami".
Se encontravam depois do sinal.

Ele sorria, com ar de criança.
Ela chegava, com ar de menina,
E fazia uma graça no meio da rua.
Ele a admirava, sentindo esperança.

Ele apontava pra blusa branca.
Lia a palavra fingindo de burro:
-"Me ame" querida, "Me ame"!
Ele dizia num leve sussurro.


Depois então, reinava o silêncio.
E ele ficava meio atrapalhado.
Ela respondia depois de um tempo:
-É "Miami" garoto abobado!

Amém.

sábado, 21 de maio de 2011

Boniteza cronológica.

Existem diversos conceitos para o significado de Tempo.
Alguns o chamam de Deus, outros o rotulam maldoso, imperdoável, curandeiro...
Há quem veja o Tempo como um pêndulo de um relógio, cujos movimentos são constantes, precisos e perfeitos.

Outros que crêem o Tempo como uma contagem regressiva. Ele começa cheio, completo, inteiro. E vagarosamente se esvai. Ao fim da contagem, ocorre 'o fim'. O fim do mundo, da vida, ou de algo pessoal.

Tem também, quem associe o tempo com os movimentos de um animal na floresta. Que caminha de um lado para o outro, para de vez em quando, caça, procria, se alimenta, descansa, anda mais rápido, mais lento (de acordo com a necessidade) e no fim, morre.

Mas e a Beleza? Qual seria a relação de Tempo/Beleza que nos envolve afinal?
Ah, a Beleza! Ela simplesmente não existe.
Nós seres humanos temos opiniões mais diversificadas sobre "o que é belo". Daí procuramos insensatamente aquilo que consideramos mais bonito do que as outras coisas ao redor, e tiramos fotos, pintamos quadros, escrevemos... Como se quiséssemos congelar, e eternizar nosso conceito de beleza antes que ele se torne velho (consequentemente feio).
Então, a beleza não existe...

(Mas que fique claro. Às vezes eu discordo de mim mesmo.)

Amém.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Pessoaurélio.

Tempestuoso(a), no seu mais puro significado: Que traz tempestade.

Tempestade, de acordo com a língua portuguesa: Perturbação atmosférica violenta, que, ligada aos movimentos verticais do ar, que provocam a fôrmação de cúmulos-nimbos, é acompanhada de fenômenos mecânicos (vendavais e aguaceiros) e amiúde de fenômenos elétricos (raios, trovões): as tempestades são freqüentes no verão.
Fig. Calamidade, sofrimento, desgraça: tempestades da vida.
Tumulto de sentimentos: as tempestades do coração.
Tempestade magnética, perturbação do campo magnético terrestre, proveniente da atividade solar.

E por fim.. Tempestade, em um significado pessoalmente mais amplo e incógnito: Ato ou efeito de modificar drasticamente qualquer objeto, ou ser vivo, o transformando assim, em algo extraordinariamente singular e audacioso...
Logo, Tempestuoso, derivado de Tempestade, é aquele(a) capaz de transformar as coisas a sua volta de forma violenta e avassaladora. O que, de certa forma, não está necessariamente ligado a metamorfoses negativas. Nem todas as mudanças são para a pior. E nem toda tempestade é negativa. Haja vista que minha a vovó dizia que depois da tempestade sempre vem a abonança...

Presume-se então, que a tempestuosidade seja um sinal claro de epifania. Moral, racional, sentimental e quiçá banal.

Amém.

sábado, 14 de maio de 2011

O noticiário.

Tem acontecido uma infinidade de coisas ultimamente. Os jornais se ocupam como nunca. Notícias importantes, úteis ou fúteis. Os valores estão nos olhos de quem lê. Segue abaixo uma opinião nem um pouco respeitável sobre alguns dos ultimos fatos...

Bolsonaros com suas opiniões medíocres tem tomado um bom espaço na mídia. Ofensas e "apontadas de dedos" rolam a mil na câmara dos deputados e eu poderia muito bem dar meus pitacos sobre a "mediocridade bolsonárica". Mas deixo título do post anterior resumir tudo o que eu dissertaria..

***

O casamento de vossa realeza, príncipe e princesa, pára o mundo, e eis que surge uma nova geração para ditar suas opiniões realmente relevantes sobre o príncipe Willian e sua caríssima noiva. Os salões de beleza que se cuidem, pois não há bafão maior no momento!

Não digo que considero inútil todo este foco jornalístico em um simplório casamento porque estaria sendo demasiadamente ranzinza. Simplesmente não me importo. E não, não tenho nada a comentar. Exceto pelo meu sincero desejo de que eles tenham um casamento firme e duradouro.

(Não por eu me interessar pela saúde do relacionamento do príncipe. Mas se por ventura, esses dois resolverem se separar, com certeza teremos uma nova onda de notícias irrelevantes sobre o "desmanche do casamento real". Assim sendo, que vivam felizes para sempre!)

***

Outra parte de mim que certamente ficaria cansativa, é a recém notícia sobre a aprovação da lei de comunhão estável de parceiros do mesmo sexo. Este assunto, aqui, já deu o que tinha de dar. E meus conceitos já estão mais do que expostos, seria inútil explana-los novamente, de novo, e mais uma vez...

***

Marcha contra a descriminalização da maconha. Outro assunto exaustivo...
Acredito que a grande questão é: Aonde estavam os maconheiros deste país? Cadê os músicos e a classe artística (sua boa maioria pelo menos) que quando não exibem claramente o consumo de maconha na sua arte faz apologia descarada às próprias? Onde estavam todos eles que não colocaram a cara a tapa para debater um assunto que já virou tabu nas câmaras estaduais e nacionais, onde os políticos num geral não dizem que sim, nem que não, e fogem do assunto como o diabo da cruz?
Sim, tenho uma teoria bastante aceitável para o fiasco da marcha da descriminalização da maconha...
Eles se esqueceram de ir, é claro!

***

Em meio a todos estes acontecimentos eu não poderia deixar de relatar que o meu grande amigo Lierte Júnior(sim, sem censura desta vez. Dito nomes mesmo! Não é calúnia nenhuma, e acredito que não vou morrer por isto, vou?) retornou com seus argumentos toscos e incoerentes. E sua propaganda pseudo bondosa-cristâ na tevê valadarense outra vez. Não vou perder tempo em expressar o quanto é equivocado e feio por parte do vereador. Que trabalha para um estado laico, pregar egocentricamente, a palavra do 'seu' deus, recriminando os homossexuais da forma que faz em seu programa.

Tenho controlado um pouco minha forma de expor opiniões, e relevo em algumas circunstâncias, atitudes que consideraria "incoerentes". Mas a burrice humana, feliz (ou infelizmente), ainda me incomoda profundamente.

Texto antigo sobre Lierte Júnior: http://memoria-de-peixe.blogspot.com/2010/04/hipocrisia-na-politica-valadarense.html

***

O Bin Laden finalmente foi morto. Mas há controvérsias, e sempre haverá gente expondo dúvidas e questionando se os "grandes feitos" ditados pelo poderoso Estados Unidos da América são reais. Sinceramente, não importa. Talvez, o relevante seria questionar porque a morte de Bin Laden gerou um alvoroço tão grande entre os patriotas estados unidenses?

Quem sou eu para questionar a justiça (ou a vingança) humana. Mas é um tanto perturbador assistir pessoas glorificando a morte de um mártir (gostando, ou não. Ele foi um. Morreu pelos seus ideais.), e alienadas para o próprio umbigo. Acusando e sentindo alívio, pois "a justiça foi feita", enquanto quem mais sofreu em meio esta confusão, não tem nada por louvar...
Os dois lados sofreram com esta guerra. Não há mocinhos ou vilões...

E numa guerra nunca há certo e errado, bem ou mau.
Só existem os perdedores, e aqueles que não ganharam...

Amém.

domingo, 8 de maio de 2011

Gente babaca.

Queria ser alguém que sabe dizer exatamente o que as pessoas precisam escutar, seria fácil.
Queria eu ser menos crítico, menos alienado, menos egoísta e só um pouco mais convicto.

Mas e daí se eu sou irônico, indigesto ou desapegado? Quem é que tem o poder de ir ao fundo dos meus defeitos e ditá-los imbecis? E qual é o problema em ser um imbecil?

Que foi? Por que este olhar de desaprovação? Nunca viu um hipócrita na vida?
Meu bem... A humanidade é hipócrita. E suja. E babaca... O homem é babaca por ser humano. Para ser idiota, basta ser gente. Gente tosca, que diz, que pensa, e age da forma que acredita ser certa...

E que direito alguém tem de te dizer o que é certo? De apontar os teus defeitos e te julgar inferior? Que direito esta gente tem de se considerar absoluta? Tentaram te induzir a aceitar a vida eterna, mas não te perguntaram se você quer viver pra sempre. Te ensinaram que é certo acreditar em alguma coisa. Criaram regras e conceitos burros, restringindo a tua própria liberdade, em troca de um paraíso ao lado de um ser superior criador de tudo aquilo que você vive. Mas nunca perguntaram o que você pensa a respeito. Tentaram te controlar, mas estavam(e estão) todos descontrolados. E digo mais, equivocados!

Pregam e discursam com um linguajar culto e pomposo. Quiçá invejável! Mas e lá no fundo? No fundo da mente, e do espírito, e da alma, ou do que quer que seja... O que se passa?
Que conceitos haveriam por trás desta pseudo bondade religiosa/política/financeira e o escambal a quatro, que financiam por debaixo dos panos ou na cara de pau, o egocentrismo de uma minoria?

Gente cansa! Gente cansa a gente.. E a gente, com certeza, cansa outra gente.
É assim que sempre foi, e é assim que é.

E digo mais. Ridículo é quem me leva muito a sério...

Amém.